Inscrições abertas para oficinas gratuitas de Comunicação Audiovisual Inclusivas

Inscrições abertas para oficinas gratuitas de Comunicação Audiovisual Inclusivas

Aulas serão distribuídas em 9 módulos semanais, a partir do dia 16 de maio. Projeto abordará temática inclusiva com foco na Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS

Estão abertas as inscrições para as oficinas de Comunicação Inclusiva do projeto Circuito Audiovisual. Serão oferecidas 720 vagas, distribuídas em 9 workshops semanais, com capacidade para 80 alunos cada. A qualificação é gratuita e será realizada de forma on-line, de segunda a sexta-feira, das 18 às 20 horas. Podem participar jovens e adultos com idade entre 14 e 60 anos. As inscrições deverão ser realizadas por meio do site www.circuitoaudiovisual.com.br.

Uma realização da Secretaria de Cultura do Distrito Federal, em parceria com o Instituto Cultural Meninos de Ceilândia, o projeto tem como principal objetivo motivar e proporcionar a Inclusão Social e Cultural, a partir da capacitação de novos profissionais para atuar no segmento audiovisual, de forma inclusiva. As seis primeiras oficinas são destinadas ao tema Tópicos em Libras: Surdez e Inclusão, distribuída em seis módulos, com aulas entre 16 de maio e 24 de junho.

Embora o tema comum, cada um dos seis workshop abordará um conteúdo específico, não ocasionando prejuízos aos alunos matriculados para módulos individuais ou alternados e possibilitando a formação de um número maior de profissionais. Os estudantes que concluírem as seis semanas destinadas aos Tópicos em Libras: Surdez e Inclusão, realizarão o ciclo completo de formação do tema.

As três últimas oficinas do projeto serão destinadas ao conteúdo prático: Operação de Câmeras e Inclusão – 27/06 a 01/07; Montagem, Edição e Inclusão – 04/07 a 08/07; Transcrição, Legendagem e Inclusão – 11/07 a 15/07.

Importância da Inclusão por meio da Língua Brasileira de Sinais – Libras

Reconhecida como uma das línguas oficiais do país, por meio da Lei 10.436/2002 e do Decreto 5.626/2005, que regulamenta a legislação, a Língua Brasileira de Sinais – Libras, é um importante instrumento de inclusão. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, cerca de 9,7 milhões de pessoas possuem deficiência auditiva no país, o que corresponde a mais de 5% da população.

A dificuldade para se comunicar e de acessar serviços básicos, é um dos principais desafios para essa significativa parcela da população. Com a regulamentação da Lei em 2005, tornou-se obrigatória a inclusão da disciplina de Libras na grade curricular dos cursos de formação de educadores.

O papel inclusivo da linguagem de sinais dá-se, inicialmente, na educação, possibilitando que crianças e jovens surdas tenham a oportunidade de ingressar no ensino regular, por meio de escolas que contem com a presença de um tradutor de Libras.

Contudo, a inclusão faz-se fundamental em todos os segmentos, a fim de proporcionar uma melhor qualidade de vida, de interação social, de acesso aos produtos culturais e de chances de ingresso no mercado de trabalho formal.

Sem a linguagem de sinais, tarefas simples, como assistir a um programa de televisão ou a um vídeo no YouTube torna-se algo complexo e inacessível. Felizmente, a partir da legislação, inúmeros canais de vídeos na plataforma, tal como TVs abertas e fechadas, adotaram a presença de intérpretes em sua programação.

Neste sentido, nasce a necessidade da qualificação de profissionais que atuem neste segmento do entretenimento e da cultura, principalmente no ramo do audiovisual.

Infelizmente, embora os avanços, tanto deficientes auditivos quanto ouvintes, ainda tem pouco acesso à formação em Libras. Na maioria dos casos, a capacitação é oferecida em centros específicos para pessoas com deficiência, e não em caráter amplo, nas escolas regulares, por meio de um ensino bilíngue — formato ideal, segundo pedagogos e especialistas em inclusão.

No ano de 2008, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – mostra mais antiga e tradicional do país –, foi pioneira ao incluir a presença de um intérprete da Língua Brasileira de Sinais em todas as sessões da competição. O feito inédito chamou atenção para a importância da inclusão dentro de um ambiente, aparentemente, comum e acessível a todos, as salas de cinema.

A fim de ampliar a qualificação de novos profissionais e torná-los aptos a atuarem nos mercados audiovisual e inclusivo, o projeto Circuito Audiovisual foi cuidadosamente planejado.

Para se inscrever, acesse: www.circuitoaudiovisual.com.br. Todos os alunos receberão certificação de participação.

Programação

16/05 a 20/05 | Tópicos em Libras: Surdez e Inclusão (Módulo I)
23/05 a 27/05 | Tópicos em Libras: Surdez e Inclusão (Módulo II)
30/05 a 03/06 | Tópicos em Libras: Surdez e Inclusão (Módulo III)
06/06 a 10/06 | Tópicos em Libras: Surdez e Inclusão (Módulo IV)
13/06 a 17/06 | Tópicos em Libras: Surdez e Inclusão (Módulo V)
20/06 a 24/06 | Tópicos em Libras: Surdez e Inclusão (Módulo VI)
27/06 a 01/07 | Operação de Câmeras e inclusão
04/07 a 08/07 | Montagem, Edição e Inclusão
11/07 a 15/07 | Transcrição, Legendagem e Inclusão

Serviço | Circuito Audiovisual de Comunicação Inclusiva
Data: 16/05 a 15/07
Hora: 18h às 20h (de segunda a sexta-feira)
Local: Plataforma on-line
Inscrições gratuitas: www.circuitoaudiovisual.com.br

Da Redacao

Da Redacao