União Brasil Jovem se estrutura no Distrito Federal

União Brasil Jovem se estrutura no Distrito Federal

A juventude tem espaço e voz no mais novo partido criado no país

Com o objetivo de representar e estimular os jovens brasilienses nas questões políticas, o presidente do União Brasil do Distrito Federal, Manoel Arruda, escolheu a deputada distrital, Júlia Lucy, para ser a presidente do União Brasil Jovem DF.

Segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF), a busca para regularizar o título de eleitor por essa faixa etária – com menos de 18 anos – aumentou 76,6% no Distrito Federal este ano.

Manoel Arruda explica que todos os jovens que tenham 16 anos – completados até a data da eleição (2 de outubro) podem emitir o documento e votar em 2022. “É notório a formação da consciência política no jovem nos dias atuais. A participação da juventude tem se tornado cada vez mais atuante na política, principalmente na internet. Essa presença é muito saudável para a constituição da cidadania, pois o jovem aprende que não deve buscar somente os seus direitos, mas também os deveres dentro da sociedade”, declara o presidente do União Brasil na capital. O cadastro eleitoral neste ano seguirá aberto até o dia 4 de maio.

Desde janeiro, o DF ganhou 11.622 eleitores menores de idade aptos a votar nas eleições de outubro. A presidente do União Brasil Jovem DF, a deputada distrital Júlia Lucy, ressalta que ficou muito feliz e honrada com o convite. “É uma função que irei cumprir com muito prazer. Sempre acreditei que o engajamento de jovens na política poderia mudar os rumos da história do nosso país. Eu mesma, desde muito cedo, busquei me informar e entender como era e para que servia a política em sua essência. Não foi à toa que me formei em Ciência Política”, explica. “Afinal, não é fácil para ninguém assistir de camarote todas as dificuldades que o nosso país enfrenta sem tomar nenhuma atitude. Foi exatamente por esse motivo que eu disponibilizei o meu nome para um cargo eletivo. Quero estimular a participação de jovens que, assim como eu fui, buscam a construção de um futuro mais promissor e cheio de oportunidades, para que eles mesmos possam usufruir de suas próprias conquistas”, afirma Júlia Lucy.

Regularização

Segundo o TSE, a eleitora ou o eleitor que deseja votar nas Eleições 2022 e ainda não possui título ou tem pendências com a Justiça Eleitoral ainda tem tempo para regularizar a situação e se tornar apto a votar. O cadastro eleitoral neste ano seguirá aberto até o dia 4 de maio.

Serviços como emissão da primeira via do título (alistamento), mudança de município (transferência), alteração de dados pessoais, mudança do local de votação por justificada necessidade de facilitação de mobilidade e revisão para a regularização de inscrição cancelada podem ser feitos, remotamente, por meio do sistema Título Net (https://cad-app-titulonet.tse.jus.br/titulonet/novoRequerimento).

Da Redacao

Da Redacao