Paulo Roque é pré- candidato ao Senado pelo Novo

Paulo Roque é pré- candidato ao Senado pelo Novo

 Em seu discurso, o advogado e jornalista afirmou que o Novo viria para surpreender nas eleições de 2022.

No último dia 09, em um encontro com novos filiados e pré-candidatos do partido Novo em São Paulo, o advogado e jornalista Paulo Roberto Roque Antônio Khouri confirmou sua pré-candidatura para ocupação da cadeira do Senado Federal em 2022. 

Confiante em sua candidatura e na nominata do Novo, Paulo Roque afirmou que partido faria a diferença nessas eleições por ter o perfil exatamente como o da sociedade atual. “O perfil do candidato do Novo é, exatamente, o perfil da sociedade que quer mudança na política. As pessoas não se conformam com a maneira como a política é tratada, ou seja, as pessoas tradicionais que estão na política há muito tempo, vêem a política pública como uma forma de resolver seus problemas e deixam a sociedade de lado. A sociedade sabe que pode contar com o Novo”, enfatiza o pré-candidato.

Paulo Roque é jornalista, advogado e professor universitário. É Doutor em Direito pelo Instituto Brasiliense de Direito Público – IDP, Mestre em Direito pela Universidade de Lisboa, e especialista em Direito do Consumidor. Possui dois livros publicados pela Editora Atlas: “Direitos do Consumidor – Contratos, Responsabilidade Civil e Defesa do Consumidor” e ”A Revisão Judicial dos Contratos no Novo Código do Consumidor e Lei Nº 8.666/93″.

Por duas vezes foi diretor da Escola Superior da Advocacia e Conselheiro da OAB/DF.

 Em 2018, foi candidato ao Senado pelo Distrito Federal, obtendo mais de 202 mil votos. “A política não é profissão e nem deve ser um meio pra melhorar a vida do político. A política deve ser abraçada por todos que se propõem a representar a população como a mais nobre missão para transformar a sociedade.” – Paulo Roque

Apesar da confirmação de sua pré- candidatura ao Senado, Paulo afirmou que hoje tem uma pressão muito grande dentro do Novo para que ele seja candidato ao  governo do DF. “Dependendo das circunstâncias, posso dizer que uma candidatura minha ao Senado ou ao Governo pode surpreender”, avalia.

Da Redacao

Da Redacao