Renata d’Aguiar filia-se ao PMN

Renata d’Aguiar filia-se ao PMN

Com forte atuação e representatividade no social e no público feminino, a servidora chega para fortalecer a nominata do partido

Após contabilizar quase 4 mil votos em sua candidatura de estreia, Renata d’Aguiar aparece como forte nome para a Câmara Legislativa do Distrito Federal, neste ano. Na noite desta quinta-feira (24), ela assinou a filiação junto ao Partido da Mobilização Nacional (PMN), comandando pelo advogado e estrategista político Lucas Kontoyanis.

Sob a orientação do experiente Kontoyanis, que levou Paco Britto à vice-governadoria, e os novatos João Cardoso e Reginaldo Sardinha à Câmara Legislativa em 2018; a recém-filiada ao PMN deve anunciar a pré-candidatura em breve, fortalecendo, assim, a nominada do partido, que já conta com o Delegado Pablo Aguiar e o ex-apresentador de TV Toddi Moreno, entre outros.

“A luta da Renata pelo social já fala por ela”, enfatiza Kontoyanis. “Sua chegada simboliza e significa muito para nós, pois estamos em um momento em que devemos levantar a bandeira da participação feminina, não apenas na política, mas em todos os rincões sociais. Pois lugar de mulher é onde ela quiser”, completa.

Em defesa das bandeiras da inclusão social, da educação e do reconhecimento feminino na sociedade, a economista e servidora pública federal de 33 anos ganhou notoriedade ao se engajar em projetos sociais. “Costumo dizer que o trabalho social não é apenas entregar cestas básicas, mas garantir e ampliar direitos, e promover proteção e inclusão social, principalmente das camadas mais vulneráveis da população”, define.

Quem é Renata D’Aguiar
Radicada no DF há cerca de uma década, a carioca destaca que tem valores pautados nos princípios cristãos, mas também na ciência. “Me considero uma eterna buscadora de conhecimentos e não me baseio em achismo”, afirma.

Em 2017, fundou o Instituto Reciclando o Futuro. Entidade sem fins lucrativos que tinha o objetivo de apoiar socialmente os catadores do Aterro Controlado do Jóquei, mais conhecido como Lixão da Estrutural. Com o passar do tempo, a entidade cresceu e, agora, expandiu as atividades para a atuação com pessoas com deficiência, mulheres em situação de vulnerabilidade, por meio de cursos profissionalizantes e instrucionais. Com cerca de 100 voluntários, atende, atualmente, cerca de 5 mil pessoas em comunidades como Sol Nascente/Pôr do Sol, Estrutural, São Sebastião e Ceilândia, entre outros.

Da Redacao

Da Redacao