GDF aumenta gratificação de gestores escolares, congelada há oito anos

GDF aumenta gratificação de gestores escolares, congelada há oito anos

Reajuste varia de 11% a 52%, a depender do cargo exercido pelo professor, e beneficia diretamente 4.952 profissionais da educação

O governador Ibaneis Rocha assinou, nesta quinta-feira (10), documento que aumenta o valor da gratificação paga aos gestores das escolas da rede pública de ensino. Esses vencimentos estavam congelados desde 2014. Todos os seis tipos de gratificações existentes ganharam um acréscimo de R$ 250 – o que representa de 11% a 52% de aumento, a depender do cargo.

Arte: Agência Brasília

Além disso, cria a Gratificação de Atividade de Coordenação Pedagógica (Gacop) no valor de R$ 300, destinada aos professores deslocados para a função de coordenador pedagógico. Essa era uma antiga reivindicação da categoria. Até então, eles não ganhavam nada para coordenar.

O aumento beneficia diretamente 3.337 profissionais de educação, hoje ocupantes dos cargos de direção, vice-direção, secretários e supervisores nas escolas da rede pública de ensino

“Estamos criando a gratificação da atividade de coordenação pedagógica de R$ 300 e, no mesmo ato, estamos também ajustando os valores das gratificações de diretores, vice-diretores e demais categorias (secretários e supervisores) aqui do Estado”, afirmou o governador Ibaneis Rocha, durante o ato de assinatura.

O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), deputado Rafael Prudente, afirmou que o processo terá celeridade na Casa, entrando para votação até a semana que vem.

“É importante esse reconhecimento que o governo está dando. É um reajuste para que as pessoas tenham mais tranquilidade para se dedicar única e exclusivamente à atividade educacional aqui no DF. Tenho certeza que vai ser muito bem-recebido pela comunidade escolar”, declarou.

A secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, destacou a importância da medida. “A gente sabe que neste período de pandemia foi importante a presença do diretor e da equipe gestora, recebendo comunidade, atuando, ajudando, e a gente sabe que precisava desse reajuste. Diria que é uma recompensa pelo trabalho exercido e para que a gente também melhore a qualidade da educação”, avaliou.

Para viabilizar o aumento, o Governo do Distrito Federal movimentará R$ 7,78 milhões já neste ano de 2022 e R$ 11,2 milhões por ano a partir de 2023

“Nós estamos com a mira de pagar as contas do governo, mas fizemos um esforço grande e atendemos a demanda do governador, está sendo feita”, garantiu o secretário de Economia, José Itamar Feitosa.

A assinatura da mensagem aconteceu no gabinete do governador, em uma audiência com o presidente da Câmara Legislativa, Rafael Prudente; a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá; o secretário-executivo de Educação, Denilson Bento da Costa, e o secretário de Economia, José Itamar Feitosa.

Benefício

Os diretores, vice-diretores, secretários, supervisores e coordenadores são todos servidores da Secretaria de Educação. A gratificação de gestão é paga a eles somando-se com o salário a que têm direito na progressão da carreira.

O aumento beneficia diretamente 3.337 profissionais de educação, hoje ocupantes dos cargos de direção, vice-direção, secretários e supervisores nas escolas da rede pública de ensino. Além de outros 1.615 mil professores hoje deslocados para coordenação.

Para viabilizar o aumento, o Governo do Distrito Federal movimentará R$ 7,78 milhões já neste ano de 2022 e R$ 11,2 milhões por ano a partir de 2023. E mais R$ 2,9 milhões pela criação da Gacop neste ano, com impacto de R$ 11,9 milhões por ano a partir de 2023.

Articulação

A articulação em prol do aumento para os gestores das escolas públicas vem acontecendo há semanas. A secretária Hélvia Paranaguá pediu que o secretário executivo da pasta, Denilson Bento da Costa, cuidasse do assunto com discrição.

Ele, então, fez as simulações financeiras dentro da secretaria e levou os cálculos para o secretário de Economia, que, por seu lado, ajustou o orçamento e viabilizou os recursos financeiros, de forma a manter as finanças enquadradas na Lei de Responsabilidade Fiscal.

GDF aumenta gratificação de gestores escolares, congelada havia oito anos

*Com informações da Secretaria da Educação do DF

Da Redacao

Da Redacao