INSANIDADE CIVILIZATÓRIA

      INSANIDADE CIVILIZATÓRIA

Bomba atômica lançada pelos USA e que dizimou Hiroshima, no Japão, em 6 de agosto de 1945. Holocausto seguido, três dias depois, e que arrasou, também, a população civil em Nagasaki. Mortes: 250.000 pessoas.

Paz nuclear é um jargão intimidatório, vigente entre aqueles que possuem ogivas nucleares em seus arsenais bélicos.

Sem dúvida, a lei do mais forte, a reger o Poder.

A ONU, via Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), estabeleceu Tratado de não Proliferação de Armas Nucleares, mas se criou um clube atômico composto por Rússia, China, USA, França, Paquistão, Índia e Coreia do Norte. 

Israel tem a mesma arma, mas não a declara. Ninguém questiona…

Outros países desenvolveram a fissão nuclear em benefício energético, para fins pacíficos. 

A Comunidade Europeia, que procura substituir regionalmente a decadente Organização das Nações Unidas no universo da geopolítica e dos mercados financeiros, cala-se, visando a preservar o vil metal.

Valores que transitam, quase globalmente, pelo funil da Society for World Wide Interbank Financial Telecommunication – SWIFT, com base na Bélgica, a operar as redes bancárias mundiais, inclusive as dos paraísos fiscais. Todavia, China e Rússia mantêm redes paralelas, também.

O ouro e sua auri sacra fames (execrável fome do ouro), no dizer de Virgílio, continua inalterado e sempre preservado.

Bielorrússia e Ucrânia detinham arsenais que foram devolvidos à Rússia, ora detentora do maior arsenal de ogivas nucleares do mundo, enquanto o Irã segue com seus projetos. 

O Apocalipse apenas aguarda um maluco de plantão para interromper o ciclo da Humanidade. 

Mas as Sagradas Escrituras afirmam que, ao soar a última trombeta (“quando o sétimo anjo tocar a sua trombeta”), os santos (ressuscitados e transformados) juntamente serão arrebatados, as nações vão irar-se contra Deus, o Senhor então se enfurecerá contra os ímpios e vingará o sangue dos seus servos, e os reinos do mundo passarão.”

*José Carlos Gentili, jornalista.

Da Redacao

Da Redacao