Aulas 100% presenciais com reforço de matemática e letramento

Aulas 100% presenciais com reforço de matemática e letramento

Em coletiva, secretária de Educação detalha planos para início do ano letivo com regras rígidas de segurança contra covid

“Nossa diretriz é manter as crianças na escola e daremos foco total no letramento e na matemática básica”, diz a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá

O ano letivo dos estudantes da rede pública de ensino começa na próxima segunda-feira, 14, com a retomada do turno normal de cinco horas nas turmas regulares. Dada a situação atual da pandemia, as escolas deverão seguir normas sanitárias como o uso de máscara facial, higienização das mãos e escalonamento na entrada e saída, lanche e intervalo para evitar aglomeração entre os alunos.

“Vamos iniciar um dos anos mais desafiadores da história da educação, pois vamos recuperar perdas de aprendizagem da pandemia. Há uma unanimidade entre organizações mundiais como Unesco, Unicef, os estudiosos do terceiro setor: a escola deve ser a primeira a abrir e a última a fechar. Então, nossa diretriz é manter as crianças na escola e daremos foco total no letramento e na matemática básica”, diz a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá.

A presença na sala de aula será obrigatória para 100% dos alunos. Situações excepcionais deverão ser apresentadas pelos responsáveis à direção da escola, que deve resolver o problema pontualmente.

O ano letivo dos estudantes da rede pública de ensino começa na próxima segunda-feira  (14) | Foto: Álvaro Henrique/Secretaria de Educação

Até a tarde da quarta-feira (9), a rede pública do DF registrava 430.717 alunos matriculados em suas 686 escolas. A Secretaria de Educação recebeu 26.888 novas matrículas para 2022.

Neste ano, há 18 obras em execução para construção de novas escolas. Elas irão beneficiar 16 mil estudantes, além de licitar outras nove, contemplando mais 8,5 mil crianças e adolescentes, da creche ao ensino técnico. A seguir, a tabela dessas escolas a serem entregues ao longo do ano.

Sintomas de covid-19

Entre os aspectos que mais geram preocupação aos pais, responsáveis, estudantes e equipes das escolas está o que fazer em caso suspeito ou confirmado de covid-19.

O guia traz orientações detalhadas. Confira as principais:
■ As unidades de ensino devem monitorar as possíveis suspeitas ou confirmações de covid-19
■ Se houver casos confirmados, as escolas devem comunicar à área de saúde pública e inserir as informações no sistema Monitora Escola (plataforma gerida pelas secretarias de Educação e de Saúde)
■ O caso suspeito ou confirmado deve ser afastado de imediato do ambiente de trabalho/estudo de forma imediata
■ O caso suspeito deve procurar um serviço médico e permanecer em isolamento até a confirmação ou descarte da covid-19
■ O confirmado deve permanecer em isolamento domiciliar de 10 dias da data de início dos sintomas, desde que permaneça sem febre e sem o uso de medicamentos antitérmicos, há pelo menos 24 horas, e com remissão dos sintomas respiratórios
■ As escolas devem ainda informar aos que tiveram contato próximo com pessoas que tenham covid-19, para que observem se apresentam sintomas e, se necessário, busquem atendimento médico

Surto

As medidas a serem adotadas nas escolas em situações de surto de covid-19 ou de um aglomerado de casos serão determinadas pela área de saúde pública, conforme cada situação. Segundo a Secretaria de Saúde, esses dois fenômenos acontecem quando:

■ Aglomerado de casos: presença de três ou mais casos confirmados em até 14 dias, sem vínculo epidemiológico entre eles
■ Surto de covid-19: ocorrência de três ou mais casos confirmados, no mesmo ambiente (sala, dormitório, alojamento ou ambiente laboral, entre outros), com vínculo epidemiológico, em um intervalo igual ou menor que 14 dias

*Com informações da Secretaria de Educação do DF

Da Redacao

Da Redacao