Porte de arma para CACs é previsto em projeto que foi vetado no DF

Porte de arma para CACs é previsto em projeto que foi vetado no DF

Pela necessidade de transporte de bens de valores é imprescindível a possibilidade de defesa

Aprovado em segundo turno na Câmara Legislativa no dia 9 de dezembro de 2020, o projeto de lei que garante o porte de armas para o Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador (CAC) foi vetado posteriormente. O atirador desportivo já preenche os requisitos legais exigidos para a concessão do porte de arma de fogo, entretanto, para evitar insegurança jurídica, o projeto de lei 2131/2018 foi proposto pelo deputado Delmasso (Republicanos-DF).

À época, o projeto de lei foi aprovado com 18 votos favoráveis e duas abstenções e o resultado da votação mostrou que a maioria dos deputados é a favor do porte de arma para os CACs. “A nossa luta agora é para ter, novamente, o apoio dos parlamentares para a derrubada do veto a este projeto. Vou propor a inclusão deste projeto na pauta para ser votado, ainda em fevereiro”, ressalta Delmasso.

A categoria de atiradores desportivos do DF tem aguardado para que o porte de arma seja garantido por lei em Brasília. A derrubada deste veto ao projeto de lei do deputado Delmasso é muito importante para nós, para segurança”, afirma Gilberto Cezar, do Clube de Tiro Bravo.

“Os atiradores desportivos não têm meios de defesa, no caso de serem atacados, e em tantos outros deslocamentos que se fazem necessários em sua atividade, quando transportam bens de valores, e de grande interesse para criminosos, armas e munições”, diz o texto do projeto.

Foto: Rogério Lopes

Da Redacao

Da Redacao