Guilhotina: Partidos querem só quem foi testado em urna.

Guilhotina: Partidos querem só quem foi testado em urna.

A corrida eleitoral deste ano, pode deixar muitos candidatos do passado que não conseguiram votações acima de 5.000 votos decepcionados, pois o tabuleiro desta vez poderá contar somente com 25 candidatos para o Poder Legislativo local em cada legenda ou federação.

Em entrevista com Hamilton Tatu o (Tatu do Bem) líder comunitário de Samambaia, nos relatou o seguinte cenário: Em 2018, cada partido poderia lançar até 48 candidatos ou em caso de coligação o número era de 72, quantitativo este que obrigava as legendas a abarcar os conhecidos líderes comunitários e candidatos que ainda não tinham sido testados nas urnas. Pois bem, desta vez, as nominadas estão sendo montadas de forma cirúrgica, qualquer erro pode enterrar o partido que ficará sem representante na Câmara Legislativa.

Estamos atentos aos grupos de Whats-App com a participação de vários líderes comunitários e alguns conselheiros tutelares que foram eleitos em nossa comunidade, estamos conversando com todos os que tiveram entre 500 a 1000 votos, debatendo com eles a possibilidade de serem candidatos novamente. A grande verdade é que esses líderes que obtiveram poucos votos nessas últimas campanhas, já estão filiados a alguma legenda e vão ficar no radar das executivas, mas dificilmente vão compor a nominata para concorrer a uma cadeira para Câmara Legislativa.

Uma dica importante que estamos dando para àqueles que são servidores públicos ou comissionados que sonham em disputar as eleições deste ano, é que: antes de pedir licença de seus cargos, tenha a absoluta certeza ou de preferência, uma carta assinada pelo presidente do partido que realmente vai lhes dar legenda, compondo o time que concorrera as eleições deste ano, caso isso não aconteça, o pretenso candidato pode ficar fora da nominata e ainda desempregado se tornando apenas mero cabo eleitoral de luxo.

Da Redacao

Da Redacao