Federação de Futebol do DF adere ao Chronus i-Passport, app desenvolvido por empresa franco-brasileira para controle de acesso e segurança contra a covid-19 nas arenas; documento virtual será testado em jogo da segunda divisão do Candangão


Marcos Paulo Lima / CB

A iminente volta do público os estádios no futebol brasileiro terá a segunda divisão do Campeonato Candango como palco de um dos eventos-teste para a introdução de um avanço tecnológico no auxílio à segurança sanitária na pandemia: o passaporte de vacinas.

O aplicativo i-Passport desenvolvido pela multinacional franco-brasileira Mooh!Tech para a apresentação do certificado de vacina contra a covid-19 e testes negativos tem o modelo parecido ao adotado no controle do acesso dos torcedores às principais arenas dos esportes norte-americanos como a NBA (basquete), NFL (futebol americano), MLS (socer) e MLB (beisebbol). Pelo menos três federações de futebol do país aderiram ao serviço, entre elas a do Distrito Federal, de Pernambuco e do Ceará. Nesta sexta-feira (17/9), os clubes da Série B, por exemplo, aprovaram o retorno dos torcedores aos estádios em Conselho Técnico na CBF.

Em entrevista ao Correio, o presidente da Federação de Futebol do Distrito Federal (FFDF), Daniel Vasconcelos, confirmou que há um acordo da entidade com a empresa para a prestação do serviço ao torcedor. A intenção é testar o serviço em uma partida com maior apelo de público válido pela segunda divisão do Candangão. A partida para o teste ainda será escolhida pelo departamento de competições da entidade. “É um piloto para as demais federações. Como foi liberado o público na Série B, podemos fazer um teste em Goiás em breve”, explica o mandatário.

Segundo os idealizadores, o chamado passaporte de vacinas funciona como um passe livre digital. A partir do aplicativo, qualquer torcedor imunizado ou testado negativo estará apto a participar da partida, sem risco de propagar a covid-19 de acordo a fim de viabilizar o cumprimento seguro do planejamento desenvolvido pelas autoridades sanitárias.

Os torcedores precisarão ter validado seu i-Passport com teste RT/PCR 48 horas ou vacinação, de acordo com o protocolo da autoridade local em parceira com federações e Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Além dos torcedores, staff, jogadores, comissões técnicas, autoridades, serviços essenciais e imprensa terão acesso ao passaporte de vacinas depois de baixar e se cadastrar no App Chronus i-Passaport. O acesso às arenas só será permitido depois da leitura via QR Code e catracas ou leitura manual.

“A adoção do i-Passport possibilita diminuir consideravelmente e, até mesmo, eliminar, muitos dos protocolos hoje necessários para a retomada de atividades. Ao utilizar o i-Passport como credencial no controle de acesso a locais públicos ou privados, várias medidas complexas para serem atendidas deixam de ser essenciais”, explica o CEO da empresa Mooh!Tech, Everton Cruz.

Primeira entidade a aderir ao aplicativo, a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) experimentou o serviço. “O passaporte é uma solução de registro de identificação de saúde. O uso contínuo permite o controle do status de saúde da população e a diminuição dos protocolos atualmente necessários para o retorno. Será uma credencial obrigatória para qualquer pessoa envolvida com futebol, atendendo as demandas essenciais nesse momento”, avalia o presidente Evandro Carvalho.

Entenda como funciona na prática

– Para o torcedor ter acesso ao APP CHRONUS i-Passport, o primeiro passo é efetuar o pré-cadastro com dados pessoais e foto da carteira de vacina da covid-19.

– O formulário de Pré-Cadastro está disponível no site www.ipassport.fr

– Após efetuar o pré-cadastro, o torcedor terá disponibilizado seu passaporte de profilaxia (saúde) em até 48h.

– Para ativar o aplicativo, o torcedor deve baixar o app nas lojas da Google ou da Apple.

Android – https://play.google.com/store/apps/details?id=com.chronus.ipassport

Iphone – https://apps.apple.com/us/app/chronus/id1518292321