Para quem acha que ainda está cedo para discutir as eleições do próximo ano, está bem enganado, nos bastidores de vários partidos do DF, as reuniões tem sido intensas entre líderes partidários e postulantes a cargos eletivos.

Apesar de faltar mais de um ano para o próximo pleito eleitoral, as articulações e estudos de possíveis cenários tem sido constantes, cada passo é dado de forma minuciosa e diferente das eleições passadas, que em algumas legendas era só colocar o nome à disposição que a vaga estava garantida, com a real possibilidade de não haver coligações para chapas proporcionais os partidos tem ido em busca dos candidatos mais bem votados para garantir vaga na Câmara Legislativa e Federal.

É necessário qualificar os futuros candidatos, para que saibam de fato qual cargo irão concorrer, evitando os famosos políticos de primeira viagem, que no período eleitoral vendem sonhos e quando eleitos acabam sendo personagens de um filme de terror onde o que prometeram não pode ser cumprido e os eleitores ficam decepcionados.

Em conversa com um cacique partidário foi nos dito que ” que possui cerca de 80 nomes que estão dispostos a concorrer ao próximo pleito, porém destes apenas 48 vão ter vagas em nosso partido, aqui o critério é bem claro se não mostrarem engajamento, trabalho e principalmente vontade real de concorrer ao próximo pleito serão excluídos automaticamente não vamos admitir candidatos de faz de conta” Destacou o líder que pediu reserva quanto a seu nome.

Em resumo os políticos que estão esperando o tempo passar para ano que vem iniciar seu trabalhos e que não investirem bastante em trabalho, comunicação e divulgação podem ter surpresas quando das convenções e ter seus nomes compondo somente a lista de filiados como acontece com milhares.