Por Maurício Nogueira

O deputado argumentou que só havia uma forma de derrubar o “golpe do fundão”: votando contra o texto principal da Lei de Diretrizes Orçamentárias informa O Antagonista

Alguns deputados que votaram a favor da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) estão, desde a noite de ontem, registrando no sistema da Câmara voto contrário ao trecho do texto que aumenta em quase três vezes o valor dos recursos públicos para campanhas políticas.

O destaque apresentado pelo partido Novo para tentar impedir o “golpe do fundão” foi rejeitado em votação simbólica, ou seja, sem que os parlamentares registrassem o posicionamento.

O deputado Luis Miranda (DEM) disse a O Antagonista que esse grupo de colegas “votou com o partido e depois eles viram a ‘cagada’ que fizeram contra os seus eleitores”.

“Esse papinho não cola! A forma que temos para pressionar um relator a retirar um ‘jabuti’ de um projeto é exatamente votando contra o texto principal, para forçar, assim, um acordo e a retirada do ‘jabuti’.”

Miranda ainda chamou atenção para o fato de o partido Novo, autor do destaque que tentava retirar o “golpe do fundão” da LDO, não ter recebido apoio suficiente para, durante a sessão do Congresso, emplacar a votação nominal, quando o voto dos deputados fica computado.