O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (17;6) o Projeto de Lei 1136/2019, da deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO), que cria o Dia Nacional da Conscientização das Doenças Cardiovasculares na Mulher, a ser celebrado em 14 de maio. A proposta recebeu parecer favorável da relatora, deputada Rose Modesto (PSDB-MS). O texto agora será analisado pelo Senado Federal.

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (17;6) o Projeto de Lei 1136/2019, da deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO), que cria o Dia Nacional da Conscientização das Doenças Cardiovasculares na Mulher, a ser celebrado em 14 de maio. A proposta recebeu parecer favorável da relatora, deputada Rose Modesto (PSDB-MS). O texto agora será analisado pelo Senado Federal.

O projeto prevê que, nessa data, serão realizados eventos como palestras, treinamentos e outras ações de conscientização sobre os fatores de risco cardiovascular em mulheres. As iniciativas serão organizadas pelo poder público, em parceria com entidades médicas, universidades, escolas, organizações não governamentais e outras entidades da sociedade civil.

“Em 2019, as doenças do aparelho circulatório foram responsáveis por mais de 170 mil óbitos de mulheres no Brasil, representando a primeira causa de morte na população feminina e superando, até mesmo, o número de óbitos por neoplasias”, disse a relatora. A deputada recomendou a aprovação do substitutivo ao original elaborado pela Comissão de Seguridade Social e Família.

A autora da proposta lembra que proposta foi idealizada pelo Dr. Marcelo Queiroga, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e atual ministro da Saúde, e reforça que o combate às doenças cardiovasculares depende de programas de prevenção e maior acesso ao diagnóstico. “Na maioria das vezes, as doenças cardiovasculares podem ser prevenidas por ações de saúde pública que envolvem o controle de fatores de risco, assim como pelo manejo clínico otimizado dos pacientes”, disse Mariana Carvalho.

A deputada, que é médica com especialização em Cardiologia, justificou a iniciativa com o argumento de que as doenças cardiovasculares são as grandes causadoras de mortalidade no mundo e no País e, por isso, a necessidade do alerta para fatores de risco para essas doenças cardiovasculares em mulheres, como alimentação inadequada, baixa atividade física, consumo de álcool e tabagismo. 

Publicações especializadas apontam que as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte de mulheres no mundo, representando 35% dos óbitos anuais. Segundo a SBC, a proporção de mortes por doenças cardiovasculares, que já foi de nove homens para cada mulher, atualmente está em 5,3 homens para cada 4,7 mulheres, o que causa preocupação. “Ao tratar do tema e alertar as mulheres para esses dados alarmantes, toda a sociedade estará sendo alertada. Vamos agora interceder junto ao Senado para que vote a proposta e, no ano que vem, já tenhamos o Dia Nacional de Conscientização das Doenças Cardiovasculares na Mulher”, reforça Mariana. 

Fonte: Ascom Deputada Mariana Carvalho e Agência Câmara de Notícias