José Carlos Gentilli – Escritor, Membro da Academia de Letras de Brasília, da Academia Brasileira de Filologia e da Academia das Ciências de Lisboa

Costumo afirmar que “Quem pensa pequeno faz coisas diminutas,  e quem pensa grande realiza coisas gigantescas”, a relembrar que “O  homem tem o tamanho de seu pensamento” – aforismas que estratificam  a grandeza estelar deste mineiro de Bambuí.  

Homem de talento e antevisão, serviu administrativamente a Rondon  Pacheco, a Ernesto Geisel e ao Brasil, e gerou o Fórum do Futuro,  modernizou a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa,  e acredita, corretamente, ser este gigante país o mais importante celeiro  na produção de alimentos do orbe. 

O que este professor universitário de Lavras, terra das

Alterosas, fez  para transformar a Economia Nacional? 

Fez o que os educadores deveriam realizar, independentemente de  retrógradas e beócias ideologias antagônicas, a perfilhar-se aos ditames  

técnico-evolutivos e formar e consolidar uma geração de profissionais  do negócio da agropecuária da maior competência. 

Como Alysson Paolinelli conseguiu isto? O que fez para alcançar este  desiderato? 

Simplesmente enviou 1.530 jovens brasileiros para centros de ensino  no exterior, especialmente para os Estados Unidos e o Japão, consciente de  que somente a educação e a meritocracia têm a capacidade de acompanhar  o regramento da inteligência artificial, nos moldes preconizados pelo  saudoso cientista Stephen William Hawking (*8.1.1942 – +14.3.2018). 

Afirmo, sempre, que o “O gênio habita o mundo da simplicidade”. 

Daí, a razão de a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz  indicá-lo como candidato ao Prêmio Nobel da Paz – 2021, a secundar o  etíope Abyi Ahmed Ali (2019) e o Programa Alimentar Mundial (2020).  

“Seja como, queria agradecer de todo o coração a sua amizade e atenção.” Dom Carlos Filipe Ximenes Belo Prêmio Nobel da Paz  Bispo do Timor-Leste  “My warmest congratulation to your national award! I hope that this will give you inspiration to future  books and editions” 

ODD ZSCHIEDRICH (MESTRE DE CERIMÔNIA  DA CASA REAL DA SUÉCIA) (EX-SECRETÁRIO-GERAL DA SVENSKA  AKADEMIEN)

Ao meu dileto amigo Bispo de Timor Leste – Dom Carlos Filipe  Ximenes Belo, detentor do Prêmio Nobel da Paz (1996), ao ex-Secretário  da Svenka Akademien Odd Zschiedrich (Mestre de Cerimônias da Casa  

Real sueca) e à culta Rainha consorte da Suécia Sílvia Renata Sommerlath,  filha de brasileira –, levo a Bandeira do Brasil a envolver a figura invulgar  do cidadão Alysson Paolinelli, entre um dos merecedores do Prêmio  Nobel da Paz, neste ano pandêmico de 2021. 

Como ítalo-brasileiro, relembro, metaforicamente, o brado de Júlio  César, às margens do Rubicon: alea jacta est (a sorte está lançada). 

O Tempo dirá! 

Rainha consorte da Suécia – Sílvia Renata Sommerlath 

*Jose Carlos Gentili,  Presidente de Honra Perpétuo da Academia de Letras de Brasília, Membro da Academia Brasileira de Filologia  e da Academia das Ciências de Lisboa.