Por Josiel Ferreira

Depois de sete dias e três adiamentos do julgamento, Luis Felipe Manvalier foi condenado a 31 anos, 9 meses e 18 dias de prisão pelo homicídio qualificado da esposa, Tatiane Spitzner. O juiz anunciou a sentença às 20h deste segunda-feira (10).

Além da pena, o juiz Adriano Scussiato Eyng negou o pedido da defesa de Manvailer para que o réu recorra em liberdade. Com isso, Luis vai continuar cumprindo prisão preventiva na Penitenciária Industrial de Guarapuava, no Paraná, onde está há dois anos e nove meses.

Luis Felipe também terá de pagar, após determinação do juiz, R$ 100 mil aos pais da vítima por danos morais.

Relembre o caso

A Advogada Tatiane casou com o professor universitário de biologia Luis Felipe em 2013. A vítima foi encontrada morte em julho de 2018 após cair do apartamento em que morava com o marido.

Manvalier negou que tinha matado a esposa, mas câmeras de segurança do circuito interno do edifício mostraram que Tatiane foi agredida algumas vezes pelo professor momentos antes de ser encontrada morta.

Depois de pedidos de mudanças no júri e adiamentos do julgamento, sete jurados entenderam que Luis  deveria ser enquadrado nas qualificadoras de feminicídio, motivo fútil e meio cruel – asfixia.