Por Maurício Nogueira

O ministro da Justiça, Anderson Torres, entrou no radar da CPI da Pandemia.

O motivo foram declarações que ele deu em entrevista à revista Veja deste final de semana na qual defendeu uma CPI ampla e declarou que irá requisitar informações sobre os inquéritos que envolvem governadores em desvios de recursos da saúde.

Integrantes do G-7, o grupo de sete senadores de oposição e independentes que controla os trabalhos da CPI, consideraram as declarações uma ameaça aos trabalhos do colegiado e fez um requerimento no qual pede sua convocação.

“Fizemos um requerimento e devemos debatê-lo na próxima sessão deliberativa.  Ele ameaçou de maneira indireta a CPI e isso é crime”, disse à CNN o senador Randolfe Rodrigues. A próxima sessão deliberativa deverá ocorrer no dia 11 de maio.

Por meio de sua assessoria, o ministro da Justiça disse que “está absolutamente tranquilo com uma eventual convocação para a CPI”.