O Governador Ibaneis Rocha, conforme anunciado em nosso blog, não descarta lockdown total mesmo com o aumento do isolamento que nos últimos dias subiu de 31% para 36%.

Mesmo com o aumento do percentual de isolamento no DF, o indicie é muito baixo para conter a disseminação do coronavírus em nossa capital, se os brasilienses continuarem desrespeitando as medidas restritivas vamos ter que restringir ainda mais a circulação de pessoas. afirmou Ibaneis

“Se continuarmos dessa maneira, vai chegar ao ponto que vou ter que decretar o lockdown total e abrir somente farmácias e hospitais. Não quero chegar a esse ponto. Mantivemos o nível de atividade mínimo dentro da cidade, para causar o menor prejuízo possível, mas a população continuar sem entender a necessidade do isolamento”, afirmou Ibaneis.

Devido ao alto índice de novos contaminados e de novas vitimas fatais o Governo do Distrito Federal, tem publicado vários decretos impondo restrições a abertura de comércios e restrição de horário de funcionamento dentre outros.

Toque de recolher no DF

Por meio de um novo decreto, o governador Ibaneis Rocha (MDB), estabeleceu um toque de recolher das 22h às 05h em todo Distrito Federal. A nova medida restritiva vem após a superlotação em UTIs e o aumento de contaminações da Covid-19. A pena de multa para quem descumprir a restrição pode chegar a R$ 2.000,00.

O Decreto Nº 41.874, além de prorrogar o lockdown até 22/03, entrará em vigor às 22h do dia 8 de março de 2021 e vigorará até às 05h do dia 22 de março de 2021, podendo ser alterado ou prorrogado a juízo de conveniência e oportunidade do Governador.

O documento afirma que o toque de recolher “não se aplica a servidores públicos, civis ou militares, a agentes de segurança privada e aos profissionais de saúde, que estiverem em serviço, bem como aos membros do Poder Judiciário, do Ministério Público, das Polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros, a advogados em diligência de cumprimento de alvarás de soltura, tampouco a representantes eleitos dos Poderes Legislativo e do Executivo, no âmbito federal ou distrital, desde que devidamente identificados.