https://picasion.com/

RAY CUNHA, DE BRASÍLIA – O presidente do Partido Trabalhista Brasileiro
(PTB), Roberto Jefferson, advertiu terça-feira 9 que se a esquerda conseguir emplacar uma ditadura no Brasil matará todos os líderes conservadores, em entrevista à TV Jornal da Cidade Online, ao comentar a decisão do ministro Edson Fachin, que anulou as condenações de Lula na Lava Jato, tornando o ex-presidiário ficha limpa.

“Está na hora do Brasil reagir. Está na hora do presidente (Jair Bolsonaro), como chefe supremo das Forças Armadas, ir lá no Artigo 142 da Constituição e convocar as Forças Armadas para aposentar esses 11 ministros; e se nomeia 11 juízes de carreira, que não tenham compromisso com partido político e nenhum grupo ideológico. Se não, eles (os 11 do Supremo) vão levar o Brasil a uma revolução” – analisou Jafferson.

Para ele, se não houver uma intervenção imediata, o Supremo vai pavimentar uma ditadura igual à de Maduro na Venezuela, pois já soltou dezenas de milhares de corruptos, chefões do tráfico e bandidos em geral, além de empoderar governadores, que já soaram o toque de recolher, com a desculpa da pandemia, como Ibaneis Rocha, de Brasília, e começam a governar como em uma confederação.

“O Supremo está empoderando governadores e prefeitos e amarrando as mãos do presidente. Já, já, você vai ter movimento separatista. Já, já, a gente perde a Amazônia. É uma violência à segurança nacional e à integridade territorial do Brasil” – afirmou. “Hoje, o Brasil não é mais República Federativa. O Supremo fez no Brasil um estado confederado; é uma ameaça que o Supremo está fazendo à unidade territorial brasileira.”

Sobre Fachin, disse: “É um homem de esquerda, do Movimento Sem Terra, advogado da causa gay, advogado do PT no Paraná, professor universitário comunista, como todo professor universitário das universidades públicas federais são”.

Roberto Jefferson ficou conhecido nacionalmente por ter denunciado o Mensalão, o maior esquema de cooptação do Legislativo pelo Executivo, no fim do primeiro mandato do ex-presidente Lula. Mesmo assim Lula foi reeleito.