Em sessão remota da Câmara Legislativa, nesta quarta-feira (3), o deputado Leandro Grass (Rede) defendeu, mais uma vez, a abertura de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar denúncias envolvendo o Iges-DF. O instituto é o responsável pela gestão do Hospital de Base, Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e seis unidades de pronto-atendimento (UPAs) no DF. O parlamentar pediu que os colegas assinem o requerimento da CPI, que conta com a adesão de sete distritais.

“Precisamos aprofundar as investigações das irregularidades denunciadas, como a superfaturamento de contratos, os casos de nepotismo e a farra do cartão corporativo”, justificou. Grass reforçou que a instauração da CPI não é para “fazer palco político”: “É uma prerrogativa desse parlamento investigar o uso dos recursos públicos, não deixar que o dinheiro do povo escoe pelo duto, pela torneira da corrupção”.

“Está na hora de instalar essa CPI, o Iges é uma caixinha preta que precisa ser aberta por nós. Espero que esta legislatura não seja marcada como covarde”, afirmou a deputada Júlia Lucy (Novo).

O deputado Professor Reginaldo Veras (PDT) também reforçou o pedido de adesão à instauração da CPI: “Assinem, vamos investigar. Quem não deve não teme. É a oportunidade de o governo se defender”.

Para o requerimento seguir adiante, ele precisa contar com a assinatura, de no mínimo, oito parlamentares.

Denise Caputo