https://picasion.com/

Por Maurício Nogueira

O presidente da Câmara, Arthur Lira,  foi contestado por deputados nesta quarta-feira (10), durante a votação da autonomia do Banco Central, sobre sua decisão de transferir jornalistas que cobrem o Legislativo para uma sala sem janelas em plena pandemia de Covid-19.

Hildo Rocha, do MDB maranhense, defendeu a votação em plenário da medida do presidente da Câmara e afirmou que a área atual onde se localiza o comitê “é muito grande para comportar apenas uma pessoa” —Lira autorizou obras para transferir o gabinete da presidência da Casa para a área hoje usada pelos jornalistas.

O deputado do PP alagoano alegou que a decisão havia sido tomada pela Mesa Diretora anterior e foi apenas convalidada pela nova gestão.

“O que a imprensa reclama é que não pode ficar distante do plenário. E nós vamos conversar e dialogar como sempre fizemos para acharmos uma solução viável, que atenda a todos, não só à imprensa, mas principalmente o funcionamento desta Casa com a ajuda da imprensa”, afirmou Lira.

Não se trata de medida administrativa. Arlindo Chinaglia (PT), Eduardo Cunha (MDB), por exemplo já tentaram afastar os repórteres do comitê, ao lado do plenário da Câmara, tentando mudar a sala para uso dos jornalistas para mais longe.  Intransigência do espectro da esquerda à direita de alguns parlamentares. É que volta com o maior representante do Centrão.