https://picasion.com/
RAY CUNHA

BRASÍLIA, 23 DE JANEIRO DE 2021 – Ícone de Brasília, o Hotel Nacional será inteiramente restaurado, este ano. Inaugurado um ano depois de Brasília, em 1961, no Setor Hoteleiro Sul, tem 10 andares, 347 apartamentos, quatro salões para festas e eventos, uma piscina aquecida, 12 salas de reunião, salão de beleza e lojas.

Celebridades de todo o mundo já se hospedaram nele, como o casal real britânico Elizabeth II e Filipe, Duque de Edimburgo, os presidentes americanos Jimmy Carter e Ronald Reagan, o presidente francês Charles De Gaulle e a primeira-ministra da Índia, Indira Gandhi.

Em 2018, foi arrematado da família Canhedo em leilão judicial, para pagar dívidas, por 93 milhões de reais pelo consórcio Incorp, do Grupo Bittar e a Luner, construtora dos irmãos Farah. Tanto a família Bittar quanto os irmãos Farah, grandes empreendedores de Brasília, têm as qualidades necessárias para resgatar o brilho de um dos ícones da capital.

A Rede Bittar de Hotéis, sediada em Brasília, foi fundada na década de 1970, com a inauguração do Hotel Phenícia, um dos primeiros do Setor Hoteleiro Sul, pelo paulista Salim Bittar. Hoje, conta com seis hotéis: Grand Bittar, América e Phenícia, de quatro estrelas, e Monumental, Plaza e Bittar Inn, de três estrelas, além do Hotel Nacional.

Já a Construtora Luner tem 38 anos de atividade, fazendo-se presente em todo o Plano Piloto e no Sudoeste, bairro favorito de Brasília, pela sua proximidade com o Parque da Cidade e com o centro de Brasília, além de sua urbanização e vida noturna.