LUIZ SOLANO O Repórter do Planalto


Essa crise política com a invasão do Congresso  dos Estados Unidos, me fez  lembrar a baderna, agressões promovidas e o quebra-quebra articulado por desocupados de um certo movimento social conhecido como MLST, que por sinal, era uma dissidência radical do MST.

Eles fizeram de tudo errado, em junho de 2006,  poucos protestaram contra o ataque a democracia brasileira e a Câmara dos Deputados,pois na época dessa invasão, Lula era o Presidente da República e o cabeça da baderna  um tal  Bruno Maranhão, amigo de Lula, que depois passou a ser visto circulando pelo Palácio do Planalto.

É bom que se diga que Deputados do PT e do PSOL, que hoje gritam contra a invasão no Capitólio,não impediram a prisão dos liderados por esse tal Bruno Maranhão.

Não tenho dúvidas que  grupos de esquerdas continuam agindo no mundo todo e no Brasil e não será diferente em 2022,durante a  eleição presidencial. Certamente vão querer culpar o Presidente Jair Bolsonaro, pelo vandalismo que vão promover.Sem medo de errar, digo aqui neste espaço que esse movimento já começou,com a implantação na Capital da República, de uma praça com o nome de Vereadora Marielle Franco, mulher que ninguém conhece e  nunca fez nada por Brasília e que está sendo endeusada por grupos políticos ligados ao PT e ao Psol.

Somente o tempo dirá.