Por Josiel Ferreira

Desembargadora Sueli Pini reverte decisão que beneficiava mulher do presidente do Senado

A desembargadora Sueli Pini, do Tribunal de Justiça do Amapá, anulou a decisão da juíza Elayne Cantuária, que havia cancelado a eleição da diretoria do Sebrae/AP realizada há dois anos, na qual foi derrotada a mulher de Davi Alcolumbre (DEM-AP), que, no fim da sua presidência no Senado, tenta dar demonstração de força em seu Estado.

A juíza cuja decisão foi anulada é acusada de favorecer Alcolumbre em outros casos. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Além da derrota na tentativa de reeleição, Alcolumbre viu o irmão perder a eleição para prefeito de Macapá e a mulher para a diretoria do Sebrae.

A desembargadora alegou que a decisão da juíza afeta diretamente direitos dos diretores afastados, tolhendo-lhes o direito da ampla defesa.

Ao conceder mandado de segurança, a desembargadora Sueli Pini disse que o ato da juíza Elayne Cantuária “está eivado de ilegalidade”.