Em plena Pandemia festa clandestina regada a muita bebida alcoólica, fumaça e música alta em Santa Maria no Distrito Federal.

Em determinado momento, um jovem saca uma pistola com pente alongado e atira para cima. Um dos suspeitos seria soldado do Exército.

As Imagens publicadas em redes sociais sobre uma festa clandestina, na tarde de sexta-feira (25/12), em Santa Maria, quadra 204 conjunto H flagraram jovens armados com pistalas automáticas atirando para o alto enquanto dezenas de pessoas cantam, dançam e filmam. A confraternização ocorreu no meio da rua e causou pânico aos moradores.

Uma tenda foi armada, e a rua, bloqueada para o trânsito de veículos. Vários carros equipados com som encarregavam-se de embalar a festa clandestina, regada a drogas e bebidas alcóolicas. Em determinado momento, um jovem saca uma pistola com pente alongado. A arma seria da marca austríaca Glock, do mesmo modelo usado pela Polícia Civil do DF.

O poder de fogo das pistolas fica evidente quando os homens disparam rajadas para o alto. Outros jovens, também armados, sacam revólveres e também dão tiros para o alto.

A Polícia Militar chegou a ser acionada após moradores das redondezas se assustarem com tantos disparos. No entanto, quando as equipes chegaram ao local e acabaram com a festa, as armas haviam desaparecido. Foi feito um trabalho de investigação para identificar quem são os homens que aparecem nas imagens. Um deles seria um soldado do Exército lotado no Comando Logístico (Colog) do Quartel General.