Secretaria de Esporte e Lazer ajudou jogadoras do time feminino do Gama com cestas básicas e fizeram um pedido para a Secretaria de Desenvolvimento para o custeio de passagens para atletas que não são de Brasília

Por Redação do Ge — Gama, DF

Caminha para uma solução o caso envolvendo o time feminino do Gama. As atletas denunciaram um golpe envolvendo o responsável por montar a equipe, Ítalo Batista. Elas alegam que ele prometeu ajuda de custo e moradia, mas pegou dinheiro emprestado com as jogadoras e sumiu. Sensibilizada com a situação, a Secretaria de Esporte e Lazer visitou a casa onde o elenco está hospedado, e que pertence a uma das atletas, para uma vistoria.

+ Com oito atletas inscritas na estreia do Candangão, Gama denuncia golpe no time feminino

Diante da situação encontrada, a Secretaria de Esporte e Lazer doou às jogadoras cestas básicas e mantimentos. Além disso, a pasta também enviou um pedido à Secretaria de Desenvolvimento Social para que fossem custeadas as passagens de volta das atletas que não residem em Brasília. Nesse momento, o time feminino do Gama conta com jogadoras oriundas de Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Também foi providenciado um albergue para que as atletas fiquem instaladas até que elas possa voltar para casa.

– Diante do exposto, a Secretaria de Esporte e Lazer no cumprimento de sua missão institucional e na busca de uma solução para a situação das atletas que contribuíram com o futebol feminino do Distrito Federal solicita o urgente e imprescindível apoio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social no sentido de verificar a possibilidade de doação de transporte para o retorno das atletas – diz a Secretaria de Esporte e Lazer no ofício enviado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social.

Compras foram custeadas pela Secretaria de Esporte e Lazer — Foto: Divulgação/Secretaria de Esporte e Lazer

Por conta dos problemas envolvendo o time feminino do Gama, Ítalo Batista foi expulso e proibido de entrar no CT do Gama. O clube alega que também foi enganado. O presidente do clube, Weber Magalhães, chegou a chamar o empresário de irresponsável. Em entrevista ao ge, ele informou que o departamento jurídico do clube já estava trabalhando no caso.