Coligação Pra Frente Valparaíso acionou a Justiça contra pesquisa tendenciosa

Revelando uma total discrepância em relação a pesquisa já realizadas em Valparaíso sobre intenções de voto à prefeitura do município, e batendo de frente com a credibilidade da Real Time Big Data, o último levantamento feito em Valparaíso para corrida sucessória à prefeitura, fez com que a Coligação “Pra Frente Valparaíso” do candidato a prefeito Pábio Mossoró (MDB), solicitasse na justiça [33ª Zona Eleitoral de Valparaíso de Goiás] a apuração de pesquisa tendenciosa que beneficia a deputada Lêda Borges (PSDB).

O instituto Podium, é uma verdadeira “aberração eleitoral” – trata-se de instituto que responde a sete processos por pesquisas duvidosas e que está sob investigação por fraude eleitoral na cidade de Bela Vista.

Em Valparaíso, onde a campanha à prefeitura mostra Pábio Mossoró com 35% e sua adversária deputada Lêda Borges com 22% [nas últimas pesquisas], os números do instituto Podium não mostram qualquer credibilidade. E mais: tentam enganar a população da cidade, que acompanha todo o processo eleitoral.

A coligação questiona o fato de proprietários do instituto Podim serem ligados ao gabinete do PRTB na Assembleia Legislativa de Goiás (conforme provas anexadas aos autos) – partido a que pertence a candidata a vice-prefeita na chapa de Lêda Borges, Maria Yvelônia.

O Tudo Ok Notícias entrevistou o cientista político Renato Botelho, que analisou a suposta pesquisa e afirma categoricamente “É PESQUISA FAKE”, eis que não reflete a realidade, não apresentou a metodologia estatística e está dissonante de todas as demais pesquisas em que o candidato Pábio Mossoró está em primeiro. Para o cientista político, as demais pesquisas são sérias, mas essa precisa urgentemente ser retirada do cenário, porque o eleitor não pode ser induzido com falácias.

Vale ressalvar que o instituto Podium já teve suas supostas pesquisas impugnadas em Ceres e Jaupaci, A manipulação das pesquisas é conduta descrita é criminalizada no Brasil pelo Art. 33, § 4º, da Lei das Eleições (Lei nº 9.504/97), com pena de detenção 6 meses a 1 ano e de multa de 50 mil a 100 mil UFIR (convertido fica aproximadamente 170 mil a 342 mil reais).

Ainda em setembro a justiça da 33ª Zona Eleitoral de Valparaíso de Goiás, deferiu o pedido de tutela de urgência feito pela coligação Pra Frente Valparaíso para impedir publicação de resultado de pesquisa, feita por Franco & Rodrigues Comunicação Social e Empreendimentos LTDA, por descumprimento dos requisitos necessários.

Lêda Borges tenta de tudo, até levar no tapetão – uma expressão muito usada no mundo do futebol. É quando um time perde em campo, mas quer ganhar na Justiça. O tribunal não vai deixar impune. Agora resta saber, quem pagou o instituto Podium para colocar “na frente” das pesquisas a candidata Lêda Borges.

Veja petição completa abaixo: