Renata Schuster Poli

Mais um traficante ligado a André do Rap, pode ter sua soltura em breve, Gilcimar de Abreu, vulgo Poocker, que ficou foragido da justiça por seis anos e atualmente cumpre pena na penitenciária de Mirandopolis (SP), já ingressou no Supremo Tribunal Federal (STF) com pedido.

Poocker foi condenado em 2º instancia a 8 anos de prisão, junto com André, por tráfico internacional de drogas, ambos integrantes da facção criminosa PCC, tinham a missão de enviar cocaína para Europa a partir do Porto de Santos.

O pedido está na mão do Ministro Marco Aurélio, segundo alegação da defesa o réu encontrasse em situação idêntica a de André do Rap, sendo assim o pedido foi anexado ao mesmo habeas corpus concedido a seu comparsa, os advogados de Pooker informaram que o presidiário esta desde 25 de junho, em prisão preventiva sem que haja uma reavaliação.

Por isso, citam a nova regra do pacote anticrime que torna a prisão ilegal caso não seja reavaliada e novamente justificada pela Justiça em 90 dias — o mesmíssimo argumento usado pela defesa de André do Rap.

“O Egrégio Tribunal [TRF-3] deixou de justificar a manutenção da prisão preventiva do Requerente, o que caracteriza sério constrangimento ilegal, seja porque desprezou o contido no artigo 316 do CPP, seja por violação ao artigo 5º LVII, LXI da Constituição Federal. Vale dizer que, mantida a custódia aos 25 de junho de 2020, sem reanálise da necessidade da prisão, caracterizado se cristalina o excesso de prazo”, diz o pedido.

A soltura do Rap gerou uma guerra entre Marco Aurélio e Fux pois o primeiro mandou soltar e o segundo determinou a prisão novamente.

A agora vamos aguardar o próximo capitulo “brincando de gato e rato” no STF.