Renata Schuster Poli

Em mais um decisão monocrática e equivocada do Ministro Marco Aurélio, onde determinou a soltura imediata do traficante André do Rap, mesmo sabendo que o elemento é acusado de chefiar o tráfico internacional de cocaína da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), que movimenta bilhões de reais as custas de usuários e da negligencia do poder público.  

Parece que o Excelentíssimo ministro do STF, anda na contra mão da vontade da população que paga seus impostos para manter as mordomias descabidas do Poder Judiciário, que vão desde meros cafezinhos expressos até compras milionárias de alimentos para os pobres integrantes daquela corte que recebem cerca de R$ 39.000,00 (trinta e nove mil reais) mensalmente referente ao subsidio.

Enquanto você pagador de impostos se lamenta em não poder ter sua casa própria ou dividir pequenos espaços com sua família no STF, as coisas são bem diferentes e deveria ser aberta a caixa preta do judiciário que tanto critica os demais gastos dos poderes Legislativo e Executivo mas se esquece dos frondosos gabinetes e instalações para abrigar apenas 11(onze ministros) da dina corte.

O Poder Judiciário que custa bilhões de reais para o erário publico e deveria prestar um serviço de excelência para o combate ao crime seja ele qual for, vem em alguns caso prestando um desserviço a nossa nação quando manda soltar bandidos de altíssima periculosidade e após algumas horas pede a recaptura.

Em um ato de lucides do Ministro e presidente daquela corte Luiz Fux, do qual determinou a revogação da soltura do traficante André do Rap, mostrando que vai tentar colocar aquela corte maléfica para cumprir seu papel de manter a ordem publica e fazer valer as leis vigentes de nosso país independente de quem seja o réu.

O problema esta nesta brincadeira de gato e rato que acontece cotidianamente onde a policia prende e o poder judiciário solta e depois manda prender novamente, gerando um prejuízo incalculável para os cofres públicos ainda mais neste momento que nosso Brasil se encontra gastando bilhões e bilhões no combate a pandemia e pagando auxílios os milhares de brasileiros que estão desempregados.

Acredito que nos casos de solturas de forma indevidas e pelo visto propositais quem determinou a liberação deveria ser responsabilizado inclusive cobrindo os custos, pois é inacreditável, um elemento com André do Rap, segundo informações ao sair da penitenciaria de Presidente Venceslau, embarcou em uma avião particular com destino a Maringá no Paraná e até  o momento não foi localizado tento a possibilidade de ter saído do país por uma de nossas fronteiras. Nesta brincadeira de gato e rato quem paga a conta é a população mais sofrida que deixa muitas vezes de se alimentar para sustentar tais atos irresponsáveis da Suprema Corte e de outros tribunais espalhados em todo território nacional.