Por: Fabiola Souza

Depois do imbróglio envolvendo a volta as aulas nas escolas particulares do Distrito Federal, nova data de reabertura foi definida para este ano: 21 de setembro – Educação Infantil e Ensino Fundamental I; 19 de outubro – Ensino Fundamental II; 26 de outubro – Ensino Médio e profissionalizante. Os centros de ensino particulares do DF estão preparados para receberem os estudantes. Mas a questão é: os pais estão dispostos a deixarem seus filhos frequentarem as aulas presencialmente? Primeiro, é preciso deixar claro que as atividades estão previstas para retorno, mas isso irá depender da justiça. Pois anteriormente, por duas vezes, decisões judiciais impediram a reabertura de escolas, em meio à pandemia do novo coronavírus.

As aulas na rede privada foram suspensas em 11 de março por conta da pandemia. Depois de mais de 180 dias sem deixar seus filhos nas portas das escolas, pais de todo o DF tem opiniões diversas sobre o tema. Alguns acreditam que não seja o momento da reabertura para as aulas presenciais com medo do aumento de casos de Covid, outros precisam trabalhar e não tem onde deixar os filhos e têm aqueles que já se adaptaram a nova rotina em casa e preferem continuar assim até o final do ano letivo. Enfim, a decisão de deixar os alunos regressarem ou não as aulas presenciais é unicamente de cada família e neste ponto não há espaço para julgamentos, pois cada um sabe sobre a sua realidade e necessidade.

Mas a verdade é que os centros de ensinos particulares precisam retomar suas atividades, pois segundo o Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinproep-DF), mais de 800 professores já foram demitidos neste período – de março a agosto – e a situação tende a piorar, caso as escolas sejam impedidas, novamente, de voltarem a rotina.