O suspeito foi encontrado em Planaltina de Goiás neste sábado (22/8)

Agentes da Divisão de Repressão a Facções Criminosas (Difac) da Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor), da Polícia Civil do Distrito Federal, prenderam dois integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa que atua em todo território nacional, segundo a investigação. Um dos suspeitos encontrados neste sábado (22/8) tem a hierarquia mais alta da organização na capital, chamada de Geral do Estado. 

De acordo com os investigadores, a Operação Anastasys, que visa desmantelar a associação criminosa na capital, foi deflagrada em 11 de junho, mas os dois acusados ainda não haviam sido encontrados. A suspeita é de que os criminosos da facção originalmente paulista atuem dentro e fora dos presídios de todo país.

Os policiais encontraram os foragidos em Planaltina de Goiás, município do Entorno distante cerca de 60 quilômetros da Rodoviária do Plano Piloto. Eles estavam em uma residência da região, onde foi encontrado porções de cocaína e maconha, além de uma arma de fogo com munições.

Segundo a Polícia Civil, os suspeitos presos vão responder por integrar organização criminosa e por posse de arma de uso restrito.

Operação Anastasys

Na primeira etapa da operação, deflagrada em 11 de junho, os investigadores prenderam seis integrantes do PCC. A facção criminosa oriunda de São Paulo é liderada por Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, preso na Penitenciária Federal em Brasília.

As investigações duraram mais de seis meses. No total, 38 integrantes da cúpula foram indiciados. As prisões foram realizadas em Samambaia e Riacho Fundo, além de Goiás, Piauí e Ceará.