https://picasion.com/

Conforme noticiado com exclusividade por nosso Blog no dia 7 de agosto, o Deputado Delegado Fernando Fernandes, deve assumir nos próximos dias a Administração Regional do Sol Nascente / Pôr do Sol.

Confira abaixo entrevista:

O deputado distrital Fernando Fernandes (PROS) tem sido cogitado para assumir a Administração Regional de Sol Nascente/Pôr do Sol, mas nada é certo ainda. O que se vê é muita especulação e se ouve muito diz que me diz, principalmente, no espectro das redes sociais. Inclusive com fakes sobre relações entre lideranças da região.

Por isso, o Tudo OK Notícias entrevistou o parlamentar para saber como está a sua situação nesse contexto. Ele está animado com a meta que será alcançada de obter R$ 12 milhões para a região de Ceilândia, ainda não chegou lá, mas falta pouco.

Mas voltando ao futuro possível imediato, Fernandes disse que as conversas com o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, estão bem adiantadas para comandar a administração regional. Ele não tem qualquer problema em aceitar esse desafio, que claro, deverá ser somente por meio de convite de Ibaneis Rocha.

“Tenho uma grande identificação com aquela região. Como todo mundo sabe, sou nascido e criado na Ceilândia. Trabalhei seis anos seguidos dentro do Pôr do Sol como delegado titular e como conselheiro tutelar, combatendo as milícias da região. O que acabou fazendo com que a minha identificação com a população de lá aumentasse ainda mais”, afirmou.

Além disso, o deputado ressaltou que tem bom relacionamento com os órgãos oficiais, desde quando era delegado titular e agora como parlamentar. Também destacou vantagem em relação às emendas parlamentares na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) que podem ser votadas para o desenvolvimento daquela região, não esquecendo as demais.

“Para mim, seria uma grande honra de ser administrador ou indicar um novo administrador da região que a grande mídia, hoje, a intitula como a maior favela da América Latina. Quando na verdade, é a maior comunidade que ainda está se assentando e se organizando. E o que a gente vê são obras diárias do GDF naquela região.

Na visão de Fernandes a presença maciça do estado consegue retalhar ali, na região novas invasões, tomadas de terras por vagabundos e de bandidos que agiam naquela região. Talvez com a nossa presença esses tipos de crimes cessem de vez.

“E a gente possa ajudar o nosso governador Ibaneis, repito da qual faço parte da base, e no momento que ele achar que deva voltar para a Câmara, se eu ir para lá, voltaria sem nenhum tipo de estresse, como foi feito na época em que estive na Administração Regional de Ceilândia.”

Guarda Jânio

Guarda Jânio

Segundo o deputado, o governador tem a ideia de prestigiar o suplente Guarda Jânio. Quanto a administradora Telma Rufino ele disse que “como ela está na administração de Arniqueira ela não quer deixar a administração para assumir aqui na Câmara, sendo por por um prazo indefinido, indeterminado”.

Fernandes lembrou que manteve a equipe de Telma Rufino no gabinete, após ela ter assumido a Administração por um ano. Ela é muito grata por não deixar seus colaboradores desempregados naquela época, dando um prazo para que eles se colocassem profissionalmente.

“Fizemos um acordo lá trás e muita gente da minha equipe ficou chateada porque queriam me acompanhar aqui na Câmara, mas acabaram entendo e cumprimos o acordo, e fiquei lá 11 meses e voltei sem estresse nenhum, apesar das fofocas de várias pessoas, interessadas em um racha no nosso partido. E nosso partido ficou até mais forte”, realçou Fernandes.

Ele lembra que caso venha a assumir a Administração Sol Nascente/Pôr do Sol, Telma Rufino abriria mão e Guarda Jânio, segundo suplente, assumiria o mandato temporariamente.

“Desde 2002 ele tenta uma vaga na Câmara, são quase vinte anos. E dessa vez a oportunidade bate à porta dele para que, finalmente, venha a sentir o gosto de estar aqui na Câmara Legislativa com os demais colegas, como parlamentar, mesmo que suplente. Para mim seria uma honra muito grande participar desse momento da vida dele.”

Esportes

A questão das quadras poliesportivas em condições inadequadas para a prática de esportes tem sido foco de reclamações da população. Fernandes ressaltou que à frente da administração de Ceilândia mapeou quarenta quadras em situação péssima ou precária. “Reformamos com emendas nossas e parceria com a Novacap, pelo menos 30”, frisou.

Ele acrescentou que quando Marcelo Piauí assumiu a administração, Fernandes juntamente com Martins Machado Valdelino, Rafael Prudente e Reginaldo Veras, fizeram um levamento de 100 quadras e praças para serem reformadas.

“Já estava tudo certo, esse encaminhamento nesse sentido, quando veio a pandemia. E tivemos que realocar tudo que era destinado para área de cultura, esporte e lazer, para a Saúde que está passando por um momento emergencial.”

R$ 12 milhões para a Saúde

Fernandes revelou que o seu gabinete está com a meta de investir R$ 12 milhões para a Saúde e já foi conseguido mais de metade, estando para liberar o restante. Há uma UPA sendo construída em Ceilândia, hospitais e o parlamentar afirmou que quer participar efetivamente com essa destinação de emendas parlamentares.

“Quando essa história de pandemia dar uma baixada, vamos retomar os projetos antigos como reforma de quadras poliesportivas e praças de Ceilândia, Sol Nascente e Pôr do Sol e em outras cidades mais carentes, onde as pessoas mais sentem a necessidade de uma quadra, de um espaço para o lazer, um campo sintético ou um parquinho para as crianças.

Relação com Marcelo Piauí

Tudo OK Notícias quis saber do parlamentar como estava a relação com Marcelo Piauí. “É muito boa. A gente se dá bem. Na época de faculdade, em 1997, a gente estava se formando, nós éramos os únicos pobres no curso de Direito. Eram poucas as universidades que ofereciam cursos.

“A maioria era filho de papai mesmo, filhos ministros, de juízes, desembargadores, enfim a gente não tem nada com isso. E eu morador de Ceilândia e ele de Sobradinho, eramos os únicos que quando acabava a aula íamos para a parada de ônibus. Eu do lado direito, pegava para Ceilândia. Ele atravessava a pista, pegava lá para Sobradinho”, continuou Fernandes.

Deputado distrital Fernando Fernandes e
administrador de Ceilândia Marcelo Piauí

Fernandes contou ainda que ao se encontrarem, depois, “algumas pessoas mal intencionadas começaram a jogar pimenta na nossa relação. Uns falavam para o meu pessoal que ele teria falado alguma coisa de mim. E outros falavam que meu pessoal tinha falado alguma coisa ele”.

Segundo Fernandes, para acabar com as desavenças ele foi até a Administração de Ceilândia conversou com Piauí, registrou o encontro em fotos e postou nas redes sociais. Em seguida houve uma reunião com os integrantes do gabinete e ele pediu para ninguém falar mal da Administração de Ceilândia, nem de nenhum tipo de secretaria ou de ação do governo.

“Pois, eu repito, sou da base aliada, faço parte da base aliada do governador Ibaneis. Falar mal de Marcelo Piauí é a mesma coisa que falar mal do governador Ibaneis. Eu me considero um soldado do governador Ibaneis, pronto para trilhar qualquer caminho que ele achar necessário a qualquer momento.”

José Goudim

Administrador José Goudim

A relação com o administrador de Sol Nascente/Pôr do Sol, Goudim, sempre foi muito boa e continua assim, segundo Fernandes.   “Mas muitas pessoas fazem questão de começarem a jogar pimenta e sal nas redes sociais, que o Fernando está querendo sacanear o Goudim, que o Goudim não gosta do Fernando e tal. Eu até estou querendo conversar com ele, tirar mais uma foto. Não tenho nada contra a pessoa dele, muito pelo contrário. Parabenizo por ele ser o primeiro administrador de Sol Nascente/Pôr do Sol, sem recursos, ele entrou com a cara e a coragem.”

O parlamentar disse que já teria conversado com o governador para ajudar com infraestrutura, até maquinário para poder trabalhar, onde falta também recursos humanos suficientes. E o governador concordou. “Precisamos da área de engenharia, da área jurídica, chefia de gabinete e pessoas técnicas que conheçam a região a regularizar aquela área (condomínios) e bem como na questão das invasões.

Pretensões políticas

Deputado Fernando Fernandes e Ibaneis Rocha

Fernandes, ao ser questionado sobre futuro político, disse que depende da base, do partido “por mais que se queira tomar decisão sozinho”.

“A minha pretensão inicial é a reeleição. Eu creio que tenha muito a oferecer aqui na Câmara. Eu não estou preparado para área federal. Isso partiu de algumas pessoas, mas não me agrada. Futuro governador, eu sinceramente não tenho essa pretensão. Ibaneis está fazendo um bom trabalho, foi o primeiro a tomar medidas duras contra o novo coronavírus. Foi imitado pelos demais governadores de todo o Brasil. E está levando esse momento duro com seriedade, não foge do diálogo, do discurso e eu parabenizo o governador.”

A mensagem que Fernandes deixa para a população de Ceilândia, quanto ao combate da Covi-19 é de “esperança e que mantenham o foco e não deixe o cachimbo cair como a gente fala no nordeste”.

“É manter mesmo a vigilância. Lamentavelmente, em Ceilândia, Sol Nascente, a gente está vendo muita aglomeração de pessoas nos finais de semana, festas nas ruas, campos de futebol, nas quadras poliesportiva, o que causa uma grande preocupação na gente. Há aglomerações no Lago, mas são pessoas que por sorte do destino tem atendimento médico diferenciado particular. E quando a doença vem se socorre nos melhores hospitais.

Fernandes acrescentou que o trabalho é de conscientização da população de Ceilândia e Sol Nascente para que as pessoas não baixem a guarda e continuem tomando os cuidados devidos. E como o governador falou, baseado em análise técnica que em setembro, quando voltar o calor da primavera a tendência é que essas doenças respiratórias, entre elas a coronavírus tendem a cair. E aí talvez a gente possa começar a pensar em outras medidas no sentido de retomar a economia, a vida normal, nunca esquecendo desse momento difícil, deixando de tomar diariamente as medidas necessárias com relação às doenças respiratórias e virais que ainda possam surgir.

Em relação às medidas contra a disseminação da Covid-19, principalmente para as pessoas mais carentes, Fernandes disse que a primeira preocupação foi com o momento emergencial. Foi aprovada entre outras ações a alimentação gratuita dos restaurantes comunitários. Na parte econômica foi aprovado o Refis, “votamos a favor para os empresários não fechar as suas lojas e com isso evitar demissões em massa, não só no DF, mas no Brasil e no mundo”.

Além disso, Fernandes informou que já entrou em contato com a equipe econômico do GDF para apresentar projetos para geração de mais empregos, bem como  a retomada da economia.

Ele revelou que está em entendimentos com o governador Ibaneis Rocha para reapresentar o Refis, que é uma salvação para pequenos e médios empresários. Eles vêm fechando lojas em shoppings, comércio de rua, até algumas redes de restaurantes andaram fechando as portas.   “A nossa grande preocupação é garantir o auxílio emergencial, alimentação básica das pessoas, preparar para retomada da economia e manutenção dos empregos.”

No tocante aos deputados que batalham pela melhoria das condições da população de Ceilândia, Fernandes, além dele, citou “Chico Vigilante, Reginaldo Veras, o próprio Rafael Prudente e tem outros parlamentares como minha querida amiga Júlia Luci, Martins Machado, Delmasso, Iolando, que além do nosso bloco estão visitando Ceilândia, a maior cidade satélite do DF, além de Sol Nascente e Pôr do Sol”

Fernandes contou que há um consenso por parte dos parlamentares a necessidade de se investir não só naquela região, mas como em Porto Rico, Santa Luzia, a Cidade Estrutural, essas regiões que mais sofreram com essa pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Mais um hospital em Ceilândia

Deputado Fernando Fernandes visitando Hospital de Ceilândia

O parlamentar manifestou que ficou muito feliz quando o governador Ibaneis Rocha  falou sobre a pretensão de construir mais um hospital em Ceilândia, onde há dois de campanha. Será construído entre o Sol Nascente e Pôr do Sol.

Há muita dificuldade naquela região, como fome, porque muitos pais de família acabaram perdendo o emprego e hoje mal conseguem manter a alimentação básica. Ele destaca que o R$ 600 de auxílio ajudou, mas mal dá para comprar a alimentação básica.

Segundo Fernandes o seu gabinete tem feito ações solidárias sem divulgação na mídia para não soar como exploração de miséria do próximo e “já conseguimos distribuir mais duas mil cestas básicas concentrando na região Ceilândia, Sol Nascente e Por do Sol, Samambaia, Estrutural, Porto Rico e outros”.