Após polêmica envolvendo o fundo de saúde, a Mesa Diretora da Casa tomou decisão que deve gerar economia esperada de pelo menos R$ 12 milhões por ano.

A polêmica envolvendo a ampliação da cobertura do plano de saúde que é administrado pela FASCAL, levou a Mesa Diretora da CLDF tomar a decisão drástica de privatizar o benefício referente aos deputados distritais, comissionados, ex-comissionados, aposentados e os dependentes desse grupo. No caso dos ex-distritais, eles serão incluídos depois da privatização.

Pelo novo modelo, o atual plano de saúde administrado pelo Fundo de Saúde dos Deputados Distritais e servidores da CLDF (FASCAL), só ficará disponível aos servidores concursados da Câmara Legislativa.

Está prevista a abertura de licitação pública para contratar diretamente um plano de saúde privado. Usará como base a tabela aplicada hoje pelo Fascal. A adesão poderá ser feita por todos os deputados, ex-distritais, comissionados, ex-comissionados e aposentados. A contribuição será descontada na folha de pagamento.

Confira coletiva abaixo:

Compartilhar: