Ministros e parlamentar foram citados pelo ex-ministro Sergio Moro no depoimento que ele prestou no último sábado, na sede da PF em Curitiba

Após depoimento de Sérgio Moro reafirmando denúncias ao presidente Jair Bolsonaro, o procurador -geral  da República, Augusto Aras, solicitou nesta segunda-feira (04/05) ao ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), para que sejam interrogados ministros de estado uma parlamentar e outros servidores citados pelo ex-ministro da Justiça.

O PGR quer ouvir, em até cinco dias úteis, os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional da Presidência) e Walter Souza Braga Netto (Casa Civil) para o esclarecimento dos fatos, além da Deputada Federal Carla Zambilli (PSL – SP)

O pedido foi feito via ofício enviado no primeiro dia útil após o depoimento de Sergio Moro.

No ofício, Aras diz que quer saber das testemunhas o que podem dizer sobre “eventual patrocínio, direto ou indireto, de interesses privados do Presidente da República perante o Departamento de Polícia Federal, visando ao provimento de cargos em comissão e a exoneração de seus ocupantes”.

Moro  deixou o governo acusando o presidente Bolsonaro de tentar trocar o diretor-geral da PF e superintendentes regionais com o objetivo de ter acesso a informações sobre investigações.http://blogdocafezinho.com.br/2020/04/30/sergio-moro-afirma-que-apresentara-ao-stf-provas-contra-bolsonaro/

Po isso, Aras pediu ainda para interrogar o ex-diretor da PF Maurício Valeixo e os delegados Ricardo Saadi, Carlos Henrique de Oliveira Sousa, Alexandre Saraiva, Rodrigo Teixeira e Alexandre Ramagem, que Bolsonaro foi impedido pela Justiça de indicar para o lugar de Valeixo.

Por: Raphael Veleda