Além das mensagens vazadas, presidente se indignou com aceno citando governos do PT como exemplares em relação à PF.

Ao convocar uma coletiva na última sexta-feira (24), anunciando sua saída do governo de Bolsonaro, o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, deixou claro suas pretensões a quem pretende enfrentar nas urnas em 2022, segundo ex-auxiliares e ex-colegas de ministério.

O ex-juiz da Lava Jato prometeu novos “rounds” ao afirmar que “em outra ocasião” se colocará à disposição dos holofotes para contar detalhes das divergências com o seu ex-chefe e novo inimigo.

Moro vazou sem demora, ainda na sexta, gravações e mensagens de Bolsonaro. Ele sabe que vazamentos de mensagens doem muito.

Sergio Moro insinua seu projeto político ao afirmar que é caminho “sem volta” deixar a magistratura e que está pronto a “ajudar o Brasil”.