https://picasion.com/

A secretaria Extraordinária da Pessoa com Deficiência, elaborou uma nota informativa de cuidados com relação do Coronavirus para pessoas com deficiência, pessoas com doenças raras, cuidadores e familiares .

O protocolo tem informações como formas de contaminação, prevenção e em caso de ser infectado quais as providências devem ser tomada conforme a classificação de cada indivíduo.

Confira abaixo:

NOTA INFORMATIVA DE CUIDADOS COM RELAÇÃO AO CORONAVíRUS
(COVID-19) PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, PESSOAS COM DOENÇAS
RARAS, CUIDADORES E FAMILIARES


A doença provocada pelo novo Coronavírus é oficialmente conhecida como COVID-19, sigla em inglês para “coronavirus disease 2019” (doença por coronavírus 2019, na tradução). O quadro infeccioso pode variar de leve a moderado. Alguns casos podem ser mais graves, por exemplo, em pessoas que já possuem outras doenças. Nessas situações, pode ocorrer síndrome respiratória aguda grave e complicações. Em casos extremos, pode levar a óbito.


A transmissão costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções como espirro, tosse, catarro, gotículas de saliva, contato próximo, como toque ou aperto de mão
(com pessoa infectada), contato com objeto ou superfícies contaminadas (seguido de contato com boca, nariz ou olhos).


Por isso, os cuidados com a higiene têm sido uma grande preocupação de toda a sociedade. A principal recomendação é higienizar as mãos. São cuidados simples, mas importantes e que devem ser frequentes para prevenir doenças contagiosas. Lave as mãos frequentemente com água e sabão e em situações que não estejam disponíveis água e
sabão, deverá ser utilizado o álcool em gel a 70%.


Apesar de mais de 80% dos casos de contaminação apresentarem sintomas leves, as
estatísticas apontam que a maior parte dos óbitos ocorrem em pessoas consideradas integrantes do grupo de risco. Entre elas estão:

  • Idosos
  • Pessoas com doenças respiratórias
  • Fumantes
  • Diabéticos
  • Hipertensos
  • Pacientes com HIV
    Apenas por ser uma pessoa com deficiência não significa que a pessoa tenha maior
    vulnerabilidade ao vírus. Mas ela pode se enquadrar no grupo de risco se tiver, por
    exemplo, restrições respiratórias; quadros demenciais, dificuldades nos cuidados pessoais; condições autoimunes, entre outras doenças.
    As pessoas que vivem com doenças raras têm, em geral, quadros crônicos e multissistêmicos, que os colocam em um grupo de risco, como o dos idosos, com maior vulnerabilidade física, cognitiva e/ou psicossocial.
    É importante salientar que pessoas que fazem tratamentos e utilizam medicamentos de uso contínuo não devem interromper nenhum tratamento sem conhecimento e autorização prévia do profissional responsável.
    As orientações presentes neste protocolo não substituem orientações específicas médico- paciente, nem se aplicam necessariamente a indivíduos com comorbidades (outras condições de saúde) como diabetes, imunodeprimidos, portadores de HIV, dentre outros.
    Para precauções específicas, consulte um profissional de saúde.
    ATENÇÃO: as pessoas do grupo de risco DEVEM permanecer em isolamento social.
    PREVENÇÃO AO CORONAVÍRUS
    Adote alguns cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair e/ou transmitir
    infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. São eles:
  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos. Se não
    houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos como por exemplo álcool gel
    70%;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes;
  • Ficar em casa quando estiver doente;
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel, jogar no lixo e
    higienizar as mãos em seguida;
  • Limpar e desinfetar, com álcool, ou outro desinfetante como água sanitária, objetos e
    superfícies tocados com frequência;
  • Evite aglomerações, reuniões familiares, visitas de filhos, netos e vizinhos;
  • Mantenha os ambientes bem ventilados (abra as janelas);
  • Não compartilhe objetos pessoais (escova de dente, escova de cabelo, talheres, etc.).
    ORIENTAÇÕES ESPECÍFICAS ÀS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA
    As pessoas com deficiência devem estar atentas a alguns cuidados adicionais. Dentre eles
    podemos citar:
  • As pessoas com deficiência que utilizam cadeiras de rodas, muletas ou bengalas devem
    lembrar-se de higienizar, várias vezes ao dia e após deslocamento externo, com água e
    sabão, com álcool a 70% ou outro produto desinfetante o aro propulsor da cadeira e os
    punhos da cadeira manual, os “joysticks” (controle) de suas cadeiras motorizadas, suas
    muletas e bengalas, assim como as mãos que são muito utilizadas, já que a necessidade de
    apoio é maior nesses casos;
  • As pessoas com deficiência auditiva, usuárias da Língua Brasileira de Sinais (Libras)
    precisam para comunicar-se utilizar bastante as mãos, na maioria das vezes levando-as ao
    próprio rosto. Como um dos principais vetores de contaminação são as mãos, a principal
    indicação para prevenir-se é a lavagem frequente das mãos, com água e sabão. Em
    situações em que não estejam disponíveis água e sabão, deverá ser utilizado o álcool em
    gel a 70%;
  • Nunca é demais ressaltar que todo e qualquer equipamento ou utensílio utilizados pelas
    pessoas com deficiência no auxílio à realização de suas atividades diárias ou de trabalho,
    como computadores, celulares, tablets, óculos, lupa, talheres adaptados etc. devem ser
    frequentemente higienizados;
  • As pessoas com deficiência visual também usam bastante as mãos para leitura (Braille) e
    reconhecimento de pessoas e objetos (reconhecimento tátil), devem muitas vezes contar
    com o apoio de outras pessoas para guiá-lo. Nesse sentido, é importante que aqueles que
    estão guiando a pessoa com deficiência visual realizem seus cuidados básicos com a
    higiene. Em caso de absoluta necessidade, estão disponíveis na internet aplicativos de
    voluntários, e ainda vale a pena contar com a ajuda de amigos e familiares, para realizar
    compras.
  • Como as pessoas estão sendo orientadas a tossir e espirrar no antebraço, importante que
    a pessoa cega, ao ser guiada por alguém, pegue no ombro do guia e não no cotovelo.
  • As pessoas com deficiência intelectual, que tem um comprometimento importante de
    autonomia e independência e que podem apresentar estereotipias ou mesmo levar as mãos
    à boca, é importante a lavagem das mãos inúmeras vezes ao dia e os objetos que manipula
    também serem higienizados.
    CUIDADOR OU PROFISSIONAL DE SAÚDE QUE DÁ SUPORTE DOMICILIAR
    O cuidador domiciliar (profissional) que teve contato com alguém com sintomas, suspeito
    ou diagnosticado com coronavírus (Covid 19), deve comunicar à família da pessoa que
    recebe cuidados.
    O cuidador domiciliar (profissional) que atende diversos pacientes, trabalha em mais de
    um local, deve seguir rigorosamente as recomendações abaixo, a fim de não propagar
    coronavírus entre pacientes.
  • Evitar ir doente para a residência de seu paciente;
  • Se for um profissional que apoia atividades de vida diária, deve redobrar os cuidados se
    o paciente está num dos grupos de risco; deve avaliar a necessidade de sua presença e
    considerar a possibilidade de delegar e capacitar um cuidador familiar;
  • Não exponha o paciente em passeios ou banhos de sol em locais com aglomeração de
    pessoas. Procure escolher horários e locais tranquilos;
  • Lavar as mãos e usar álcool gel antes e depois de qualquer procedimento;
  • Se for necessário, isto é, se o paciente que você cuida estiver com coronavírus, use
    equipamentos de proteção individual:

Gorro

  • óculos de proteção ou protetor facial
  • avental
  • máscaras
  • Evitar usar o mesmo calçado na rua e na residência do paciente. Mantenha um calçado na
    residência e higienize após seu uso.
    PROFISSIONAIS DE HOMECARE
  • Redobre os cuidados com higiene das mãos;
  • Use Equipamento de Proteção Individual (EPI);
  • Use máscaras N95, FFP2, ou equivalente, ao realizar procedimentos geradores de aerossóis
    como: intubação ou aspiração traqueal, ventilação não invasiva, ressuscitação cardiopulmonar,
    ventilação manual antes da intubação, coletas de amostras nasotraqueais e inalações;
  • Faça o descarte adequado das EPI;
  • Não transite com jalecos, estetoscópios ou outros itens de trabalho em local público;
  • Higienize todos os utensílios que entram em contato direto com o paciente (há, em lojas
    especializadas, capinhas plásticas descartáveis para uso com os equipamentos), com álcool
    isopropílico;
  • Cuidado com a exposição a secreções, exsudatos de feridas, sangue, urina e fezes;
  • Use capote descartável. Coloque e retire com técnica correta;
  • Higienize equipamentos de fisioterapia (bolas, elásticos, etc.) utilizados com vários pacientes
    com álcool-gel;
  • Cuidado com a própria saúde. Se alimente, repouse, beba água e fique atento a sinais de
    adoecimento;
  • Cuidado com o uso de celulares durante a assistência. Higienize tablet e equipamentos
    eletrônicos com álcool isopropílico;
    Lavagem das mãos antes e após os procedimentos.
    MEDIDAS AO ENTRAR E SAIR DE CASA
    Ao entrar:
  • Lave bem as mãos antes de qualquer coisa.
  • Tire os sapatos, se possível, os higienize;
  • Tire a roupa e coloque-a em uma sacola plástica no cesto de roupas;
  • Deixe bolsa, carteira, chaves, em uma caixa na entrada;
  • Se for possível, tome banho;
  • Limpe seu celular, com álcool a 70%;
  • Em caso de serviços de entrega em domicílio do tipo “delivery”, todas as embalagens devem
    ser higienizadas;
  • Evitar abraços, beijos e apertos de mão;
  • Não compartilhar copos, talheres e outros utensílios de uso pessoal;
  • Higienizar com álcool a70% controles remotos, computadores, chaves de casa e de carro, no
    mínimo três vezes ao dia;
  • Devemos orientar nossos funcionários de que os mesmos cuidados devem ser tomados em
    suas casas, juntamente com sua família.
    Ao sair:
  • Lee lencinhos descartáveis e use-os para tocar as superfícies, descarte-os na lixeira em seguida
    ao uso;
  • Quando possível, leve consigo álcool gel a 70%;
  • Use um pouco de álcool gel após tocar nos botões do elevador e maçanetas;
  • Caso não tenha álcool gel, use um pedaço de papel limpo para apertar os botões e abrir portas
    e depois descarte-o no lixo;
  • Evite usar dinheiro. Se necessário, imediatamente depois, higienize suas mãos;
  • Lave ou higienize suas mãos após tocar em qualquer superfície;
  • Não toque seu rosto antes de higienizar suas mãos;
  • Mantenha distância das pessoas.
    PESSOAS COM DEFICIÊNCIA “INSTITUCIONALIZADAS”
    Durante o período de “isolamento social” deve-se EVITAR visitas durante o período de
    contágio da doença. Utilize o telefone e aplicativos como WhatsApp para matar a saudade e
    transmitir mensagem de carinho.
    Nas instituições indica- se os seguintes cuidados:
  • Os corrimões devem ser higienizados várias vezes ao dia;
  • Durante as refeições, manter a distância (de pelo menos 1 metro) entre os indivíduos;
  • Pessoas com sintomas gripais (dentre eles o do COVID-19) devem ser isoladas em quarto
    individual;
  • Não compartilhar objetos pessoais (sabonete, escova de dente);
  • Suspender as atividades grupais;
  • Em caso de necessidade de assistência, preconizar os atendimentos/intervenções individuais;
  • Na sala comunitária (assistir TV, conversar) manter o distanciamento entre os abrigados,
    de pelo menos um metro;
  • Após cada banho, o banheiro deve ser completamente higienizado (desinfetante e água
    sanitária);
  • Trocar as roupas de cama e banho com maior frequência;
  • Garantir acesso livre a água potável e a garantir que não haverá troca de objetos (copos)
    entre as pessoas.
    SINTOMAS DO CORONAVÍRUS (COVID-19)
    Os sinais e sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios. Podem, também,
    causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias. No entanto, o
    coronavírus (SARS-CoV-2) ainda precisa de mais estudos e investigações para
    caracterizar melhor os sinais e sintomas da doença.
    Os principais são sintomas conhecidos até o momento são:
  • Febre – Cuidadores devem ser ainda mais atentos e verificar constantemente a
    temperatura das pessoas com deficiência mais idosas e que tenham dificuldades de se
    comunicar para dizer o que estão sentindo.
  • Tosse
  • Dificuldade para respirar
  • Confusão mental – deve observar também se aparecer quadro de confusão mental (de
    forma repentina, ficar desorientado no tempo e espaço), que é um sinal de infecção,
    principalmente com alteração cognitiva.
    Em casos suspeitos, o Governo do Distrito Federal disponibilizará equipes volantes para
    fazer o exame onde a pessoa estiver.
    Se apresentar tosse, febre e dificuldade para respirar, ligue: 190, 193 e 199.
    Para as pessoas com deficiência auditiva, usuárias de Libras, está também disponível o
    plantão de serviços da Central de Interpretação de Libras (CIL), por meio de vídeo
    chamada, pelo número: 99260 1041 ou pelo e-mail gl@sejus.df.gov.br.
    Se a pessoa com deficiência estiver em casa, junto à família:
  • Manter distância, dormir em quarto separado;
  • Utilizar, se possível, banheiros diferentes e desinfetá-los com água sanitária;
  • Não compartilhar toalhas, talheres, copos;
  • Limpe e desinfete diariamente superfícies de alto contato;
  • Lave roupas, lençóis e toalhas com mais frequência;
  • Manter o quarto ventilado.
    PESSOAS COM DEFICIÊNCIA EM SITUAÇÃO DE RUA COM SUSPEITA DE
    CORONAVIRUS:
    As equipes dos Serviços de Abordagem Social de Rua (SEDES) deverá fazer
    encaminhamento para o Acampamento provisório à população de rua instalado no
    Autódromo Internacional Nelson Piquet, situado à SRPN trecho 1 ,e entrar em contato
    com a CIEVS (Centro de Informações Estratégicas e Resposta de Vigilância em Saúde –
    telefone: 190 – 193 – 199) e solicitar o agendamento do exame.
    Caso seja confirmado o contágio, a pessoa com deficiência permanecerá no Equipamento
    em isolamento.
    NÃO QUEBRE A QUARENTENA POR DUAS SEMANAS. TODA SAÍDA DE CASA
    É UMA REINICIALIZAÇÃO DO CONTADOR
    CASOS CONFIRMADOS DO CORONAVÍRUS
    As pessoas que receberem a confirmação, por meio do exame laboratorial, devem seguir
    as recomendações médicas e permanecer em isolamento domiciliar.
    Em caso de violações de direitos, denuncie!
    Ouvidoria do Distrito Federal – 162
    Delegacia especial de repressão aos crimes por discriminação racial, religiosa ou por
    orientação sexual ou contra a pessoa idosa ou com deficiência (DECRIN) – 3207 4242.
    Conselho dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Distrito Federal(CODDEDE):
    secretariacoddede@gmail.com
    ROSEANE C.F.ESTRELA
    Secretária Extraordinária da Pessoa com Deficiência
    FRANCISCO ARAÚJO FILHO
    Secretário de Estado da Saúde
    MARCELA PASSAMANI
    Secretária de Estado da Justiça e Cidadania
    JOSÉ HUMBERTO PIRES
    Secretário de Estado do Desenvolvimento Social, interino
    PÁGINA 3 Diário Oficial do Distrito Federal – Edição Extra Nº 42-B, SEGUNDA-FEIRA, 30 DE MARÇO DE 2020