Espaço de eventos foi cedido à iniciativa privada em 2018 e Secretaria de Turismo aluga parte da estrutura por R$ 1,6 milhão ao ano. GDF diz que contrato de aluguel ‘está abaixo do valor de mercado’.

Por Marília Marques, G1 DF

O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) pediu explicações ao governo do Distrito Federal (GDF) sobre o valor pago pelo aluguel de parte da estrutura do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. O espaço de eventos foi concedido à iniciativa privada em 2018 e, desde então, o Executivo paga para usar o local.

Segundo o processo, o custo de R$ 1,6 milhão por ano é bancado pela Secretaria de Turismo (Setur) – que desde 2006 usa o prédio como sede administrativa da pasta. O valor pago à empresa Capital DF, que administra o espaço, corresponde a quase 60% do total do lucro anual do governo com a concessão.

Em nota, o GDF informou que o contrato de aluguel “está abaixo do valor de mercado”. No comunicado, o Executivo afirma que “todos os procedimentos para a formalização da locação da sede da Setur/DF foram realizados dentro dos ditames legais” (leia íntegra ao fim da reportagem).

Até a última atualização desta reportagem, o G1 não conseguiu falar com a direção da concessionária.