Tribunal de Contas pede explicações ao GDF sobre supostas irregularidades em aluguel do Centro de Convenções

Tribunal de Contas pede explicações ao GDF sobre supostas irregularidades em aluguel do Centro de Convenções
Placa em frente ao Centro de Convenções Ulysses Guimarães — Foto: Tony Winston/Agência Brasília

Espaço de eventos foi cedido à iniciativa privada em 2018 e Secretaria de Turismo aluga parte da estrutura por R$ 1,6 milhão ao ano. GDF diz que contrato de aluguel ‘está abaixo do valor de mercado’.

Por Marília Marques, G1 DF

O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) pediu explicações ao governo do Distrito Federal (GDF) sobre o valor pago pelo aluguel de parte da estrutura do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. O espaço de eventos foi concedido à iniciativa privada em 2018 e, desde então, o Executivo paga para usar o local.

Segundo o processo, o custo de R$ 1,6 milhão por ano é bancado pela Secretaria de Turismo (Setur) – que desde 2006 usa o prédio como sede administrativa da pasta. O valor pago à empresa Capital DF, que administra o espaço, corresponde a quase 60% do total do lucro anual do governo com a concessão.

Em nota, o GDF informou que o contrato de aluguel “está abaixo do valor de mercado”. No comunicado, o Executivo afirma que “todos os procedimentos para a formalização da locação da sede da Setur/DF foram realizados dentro dos ditames legais” (leia íntegra ao fim da reportagem).

Até a última atualização desta reportagem, o G1 não conseguiu falar com a direção da concessionária.

Renata Schuster

Renata Schuster